Dia dos avós entra para o calendário oficial de São Paulo

0
18

O prefeito Ricardo Nunes sancionou o projeto de lei apresentado pelo vereador Eli Corrêa (União) para inclusão do Dia dos Avós, 26 de julho, no calendário oficial do município. “O objetivo da iniciativa parlamentar é promover cada vez mais a valorização e reconhecimento daqueles que vieram antes de nós e nos ajudaram a chegar até aqui”, explica o autor. 

O vereador explica, ainda, que sua motivação também vem da gratidão aos vovôs e vovós que o acompanham na carreira como radialista há mais de 50 anos. “Sou eternamente grato às vovós e vovôs que há mais de 50 anos me acompanham no rádio e, agora, na vida pública”.

A proposta legislativa foi tão bem recebida na Câmara de Vereadores Paulistana que um grande número de vereadores pediram para ser inscritos como co-autores. “Fiquei emocionado ao ver os colegas vereadores endossando a proposta. Isso mostra que a gratidão a quem veio antes de nós, está presente e deve ser potencializada”, pondera Eli.

O dia dos avós é comemorado no dia 26 de julho, data que também é celebrado o Dia de São Joaquim e Santa Ana que, segundo a tradição católica, foram avós de Jesus Cristo. O vereador deseja que a inserção da data no calendário oficial de eventos do município fomente ações em diversos setores que contribuam para que os idosos sejam cada vez mais integrados e cuidados. 

“O aumento da população cima dos 60 anos é um fenômeno social que exige a atenção e engajamento de todos”, pondera Eli. O vereador destaca, ainda, que de acordo com o IBGE, em 2031, o número de idosos deve superar o de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. “Por isso, precisamos estar preparados para cuidar dos idosos e de todas as necessidades que são características desta fase da vida”. 

POPULAÇÃO IDOSA

O Brasil está em rápido processo de envelhecimento populacional. No mundo, a OMS aponta que em 2050, o mundo terá 2 bilhões de pessoas acima de 60 anos. No Brasil, de acordo com os dados mais recentes do IBGE, em 2031, o número de idosos vai superar, pela primeira vez, o de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. Isso exige ação imediata por parte das autoridades em todos os âmbitos e, também, uma mudança de mentalidade por parte dos cidadãos com relação a segurança, saúde física e psicológica, convivência, lazer, entre outros aspectos, da população idosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.