Tosse dos canis

0
117

A chegada de determinadas épocas do ano e a grande aglomeração de pessoas em um mesmo lugar podem trazer algumas consequências para a saúde. Em certos períodos, é comum nos depararmos com surtos de gripe, resfriados e outros problemas do tipo.

Essa questão ficou bastante evidente com a pandemia do coronavírus COVID-19. Com os animais não é diferente, eles também podem contrair doenças respiratórias altamente contagiosas, como a tosse dos canis.

Também conhecida como gripe canina, a tosse dos canis é uma doença comum em locais frequentados por uma grande quantidade de cães.

Por isso, podemos observar surtos em ONGs, abrigos, creches, hotéis e outros ambientes. No entanto, essa doença não é exclusividade desses locais e também pode atingir pets que vivem sozinhos.

A doença costuma ter evolução favorável na maioria dos casos, mas a tosse dos canis pode ser agravada e colocar a vida do cãozinho em risco, principalmente se não houver tratamento adequado.

O que é a tosse dos canis?

Mais conhecida como tosse dos canis, a Traqueobronquite Infecciosa Canina (TIC) é uma doença que acomete principalmente as vias respiratórias superiores de cães. É conhecida por ser extremamente contagiosa e de evolução aguda, ou seja, rápida e podendo ser bastante prejudicial.

As bactérias e os vírus podem ser agentes causadores, agindo isoladamente ou em conjunto. A bactéria Bordetella bronchiseptica é a causa de maior importância. Dentre outras causas temos os vírus da parainfluenza, adenovírus tipo 2, vírus da cinomose e micoplasmas. É importante identificar adequadamente a origem do problema para tratar da maneira mais adequada, afirma a Dra. Livia Romeiro do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Quando a tosse dos canis acontece de forma combinada, ou seja, mais de um agente causador, os sintomas podem ser mais graves e perigosos.

Quais são os sintomas dessa doença?

Os sintomas podem mudar dependendo do agente causador e da gravidade, porém a forma mais comum tem os seguintes sintomas:

• tosse seca, repetitiva e alta, que piora com exercício físico. Costuma ser seguida de mímica de vômito, sendo confundida muitas vezes com engasgos; secreção nasal; febre; pneumonia em casos mais graves.

Conhecer os sintomas mais frequentemente associados a uma doença é uma boa maneira de conseguir ajudar o pet caso ele adoeça. Afinal, com esse tipo de conhecimento, torna-se mais fácil intervir e fazer relatos mais precisos aos veterinários, auxiliando no diagnóstico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.