SMS realiza ação de combate aos pernilongos e à dengue nos cemitérios da capital

0
18

Em continuidade às ações de combate aos pernilongos (Culex quinquefasciatus) e dengue (Aedes aegypt), equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), estão realizando a ação de combate aos mosquitos nos cemitérios, que acontece anualmente na época próxima ao feriado de Finados. O objetivo da ação é evitar a proliferação de mosquitos a partir da geração de maior volume de possíveis criadouros nesta época, por conta de mais vasos depositados nos túmulos e campas. O controle da população de mosquitos também proporciona maior conforto aos visitantes.
Nas regiões da cidade que abrigam cemitérios, as equipes das Unidades de Vigilância em Saúde (UVIS) visitam os locais, orientando os agentes funerários, fazem vistorias, removem mecanicamente criadouros de mosquitos e, se necessário, aplicam inseticida. São 184 agentes em campo nos 40 cemitérios da cidade, dos quais 22 são municipais e 18 são particulares.
Este trabalho teve início na última segunda-feira (26). A primeira rodada de visitas é concluída nesta quinta-feira, 29, antes do feriado de Finados. Entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro, a ação será pausada, para evitar sobreposição às visitas dos munícipes e em respeito às pessoas que visitam os cemitérios. Num segundo momento, pós-feriado, entre os dias 3 e 6 de novembro, a Covisa retornará com a segunda fase do trabalho, por conta do grande acúmulo de vasos de flores/plantas que ficam nos espaços e podem propiciar novos criadouros de mosquitos.

Ações da SMS são contínuas ao longo do ano

A aplicação de inseticida, por meio de termonebulização, vem ocorrendo desde o início de agosto e continuará acontecendo nas próximas semanas, cumprindo todos os critérios técnicos do programa. Dentre as ações preventivas realizadas estão: monitoramento quinzenal de todos os córregos pertencentes à área de abrangência da região; envio de relatórios mensais à Divisão de Vigilância em Zoonoses e à Subprefeitura local; solicitação de manutenção e limpeza de bueiros e galerias; vistorias nos endereços solicitados; mapeamento e diagnóstico de área, com o cruzamento de informações obtidas em vistorias; aplicação de inseticida em áreas delimitadas.
A Divisão de Vigilância de Zoonoses da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (DVZ) adquiriu recentemente 30 veículos, picape cabine dupla, distribuídas às 27 UVIS – Unidades de Vigilância em Saúde. Esses novos veículos carregam as mini UBVS – Ultra Baixo Volume, responsáveis pelas ações de nebulização de inseticida e larvicida biológicos, para combates aos mosquitos Culex (pernilongos) e Aedes aegypti (causador da dengue).
Esses veículos atuam no combate aos mosquitos especialmente em pontos estratégicos, com maior acúmulo de mosquitos, e imóveis especiais, de maior trânsito de pessoas em épocas fora da pandemia (como escolas, creches, asilos, igrejas). A nova frota dobra a capacidade atual das UVIs no combate aos mosquitos nas zonas periféricas, próximas a rios e córregos e nas ações casa-a-casa.
As ações nas margens do Rio Pinheiros seguem sendo realizadas pela Prefeitura de São Paulo em parceria com a EMAE. Desde 2019, início do Programa Novo Rio Pinheiros, do Governo do Estado de São Paulo, a EMAE vem fazendo o desassoreamento (aprofundamento), a remoção de resíduos sólidos e de vegetação aquática, bem como a roçagem e limpeza dos taludes. Somente com desassoreamento, foram retirados 240.595 m³ de sedimentos. Já foram removidos também mais de 12 mil toneladas de lixo flutuante. Os contratos da Sabesp para coleta e tratamento de esgoto também estão em andamento e já atingiram 43,6 mil ligações das 533 mil necessárias: 8,2% do total realizado.
O gasto com a aquisição de insumos, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e equipamentos para o controle de mosquitos em 2019 foi de R$ 4.285.422,63. Em 2020, o valor gasto até agosto foi de R$ 3.437.143,09. Mesmo com a pandemia, não houve redução da mão de obra para os serviços de dedetização. O número de Agentes de Saúde Ambiental/Combate a Endemias, estabelecidos nas Unidades de Vigilância em Saúde (UVIS), permanece em 2.059, com 1.142 deles atuando diariamente em ações de controle de mosquitos.
Em 2019, foram feitas pela Covisa 3.707.982 visitas a domicílios para controle de mosquitos (2.517.085 entre janeiro e agosto). Em 2020, até agosto, o número de visitas foi de 2.711.537. Além das atividades do Programa de Controle de Aedes aegypti, todas as UVIS continuam executando as atividades previstas no Programa de Vigilância e Controle de Mosquitos Culex mensalmente. Os respectivos relatórios são enviados para o Núcleo de Vigilância, Prevenção e Controle de Fauna Sinantrópica da SMS.
A frequência dos monitoramentos das áreas cadastradas também é mensal. Em 2020, assim como em 2019, todas as 202 áreas prioritárias da cidade (áreas críticas para a proliferação de mosquitos) continuam sendo monitoradas e, quando constatada a presença de larvas, passam por tratamento.

O canal para solicitações sobre mosquitos é o Portal de Atendimento da Prefeitura de São Paulo 156: https://sp156.prefeitura.sp.gov.br/portal/tipos-servicos?tema=612

É importante, também, a colaboração da população para evitar água parada dentro de casa e exposição de objetos que podem contribuir para a proliferação de mosquitos.
Foto: Cemitério público da capital paulista (Prefeitura de São Paulo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.