Prefeitura anuncia cinco novas estátuas de personalidades negras

0
20
LOCAL DESCONHECIDO, 05-06-1960: Literatura: a escritora brasileira Carolina Maria de Jesus, autora de "Quarto de Desejo". (Foto: Acervo UH/Folhapress)

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, anuncia que cinco novas estátuas serão instaladas na cidade, homenageando personalidades negras com forte ligação com o município. O anúncio ocorre durante a Semana de Valorização do Patrimônio, evento organizado pela Prefeitura para discutir o patrimônio histórico da cidade, que termina nesta sexta feira dia 20/08.

LISTA DE NOVAS ESCULTURAS

Início dos projetos: setembro/2021- Previsão de conclusão: até 180 dias

• Carolina Maria de Jesus: estátua representando a escritora Carolina Maria de Jesus, autora de Quarto de Despejo e diversos outros livros.
Localização: Parque Linear Parelheiros, onde Carolina viveu por muitos anos, onde se encontram o Centro de Cidadania da Mulher e o Ponto de Leitura Carolina de Jesus

• Geraldo Filme: estátua do músico sambista Geraldo Filme.
Localização: Praça David Raw, na Barra Funda, próximo ao antigo Largo da Banana, muito frequentado por Geraldo e marca do Samba Paulistano; aprovado por pessoas do movimento e pela própria família do Geraldo.

• Adhemar Ferreira da Silva: estátua do atleta olímpico e tri-campeão pan-americano em salto triplo.

Provável localização: Canteiro central da Avenida Braz Leme (Casa Verde), no bairro onde o atleta sempre morou na Casa Verde e onde clubes de atletismo surgiram a partir do sucesso dele. O próprio campo do São Paulo que ele treinava era onde hoje temos o estádio do Canindé. Propomos a instalação da escultura no canteiro central da Av. Braz Leme onde muitas pessoas correm e andam de bicicleta, e era um caminho que Adhemar fazia em direção à casa dele.

• Deolinda Madre (madrinha Eunice): estátua da sambista e ativista negra Deolinda Madre, mais conhecida como madrinha Eunice, fundadora da primeira escola de samba da capital, a Lavapés.

Localização: Praça da Liberdade (sugerido pelos familiares e pesquisador sobre o Samba Tadeu Kaçula)

• Itamar Assumpção: estátua do cantor, compositor e musicista Itamar Assumpção.

Localização: A Prefeitura ainda está em contato com a família do artista para indicação de lugares possíveis para a homenagem, mas localidades como a Casa de Cultura da Penha, onde Itamar gravou a trilogia Bicho de 7 cabeças, em 1993, e que também conta com um estúdio em sua homenagem e no bairro onde ele nasceu; e a Praça Benedito Calixto, importante espaço cultural da cidade próximo ao antigo teatro Lira Paulistana, já estão sendo considerados.

Em 2020, a Prefeitura inaugurou uma estátua na Praça Clóvis Bevilácqua que celebra a grandiosidade do legado arquitetônico de Joaquim Pinto de Oliveira (1721-1811), ex-escravizado que ficou célebre com a alcunha de Tebas.

Placas da Memória Paulistana

O DPH também retoma, durante a Semana de Valorização de Patrimônio, a instalação de 50 placas do projeto Memória Paulistana. As novas placas dizem respeito ao concurso cultural de 2020 e outras pesquisas do Departamento.

Uma das novas placas homenageia o advogado Luiz Gama. Diz a inscrição: “O abolicionista autodidata (1830- 1882) viveu e teve seu primeiro escritório neste endereço, tendo libertado judicialmente mais de 500 escravizados. Em 2015, foi reconhecido advogado pela Ordem nacional”. Ela será instalada na R. 25 de Março, 595, no Centro.

Outras placas dizem respeito ao arquiteto Ramos de Azevedo (R. Pirapitingui, 111), o Teatro Brasileiro de Comédia (R. Major Diogo, 311/315), ao Guinga’s Bar (Av. Sapopemba, 13.780), Favela do Canindé (Rua Azurita, 100), ao terreiro Axé Ilê Obá (R. Azor Silva, 77 Jabaquara) e ao filme Eles Não Usam Black-Tie, de Leon Hirzsmann, que completa 40 anos em 2021 (Rua Domingos Vega, 816 – Brasilândia).

Disponível na Plataforma Geosampa, o levantamento chamado Inventário Memória Paulistana identifica lugares referenciais para a memória dos diversos grupos sociais da cidade, independente da continuidade da prática ou da existência no presente do imóvel que se constituiu como referência. A identificação é feita por meio das placas azuis com 35 cm de diâmetro.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.