Pandemia, fome e alto número de indígenas mortos

0
14

A crise humanitária que atinge o Brasil neste momento de combate à pandemia de covid-19 está provocando um aumento do número de pessoas que passam fome.

De acordo com a Sociedade Inteligência e Coração (SIC), 117 milhões de brasileiros estão em situação de insegurança alimentar, sem acesso pleno e permanente a alimentos, sendo que 19 milhões de brasileiros já estão totalmente sem comida.

O Instituto Gabi participa com a doação de cestas básicas e outras mercadorias.  Pandemia mata muita gente, a fome pode matar mais, se não houver politicas públicas e mobilização popular.
Brasil já alcançou,  a marca de 1.001 indígenas mortos em decorrência da covid-19. O dado é do Comitê Nacional de Vida e Memória Indígena, criado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

Sem políticas públicas de enfrentamento ao coronavírus pensadas especialmente para a população indígena, o país registra 50.468 casos de contaminação confirmados e 163 povos atingidos.

 “Quem ajuda as pessoas é feliz”

O Instituto Gabi foi fundado em 2001 quando o casal Iracema e Francisco Sogari perderam a sua primogênita, Gabriele Barreto Sogari. Gabi tinha apenas seis anos de idade quando foi vítima de um motorista embriagado. Antes do acidente, Gabi disse ao seu pai a seguinte frase: “Quem ajuda as pessoas é feliz”. Com essa frase, ela inspirou seus pais e todos os que acreditam no amor sem violência a fazer isso acontecer. O Instituto mesmo diante da pandemia da Covid-19 continua na luta para o atendimento de seus assistidos e familiares.

Bazar de oportunidades

No período de restrições, o Instituto Gabi continuou o seu trabalho, sobretudo na preparação das novidades. Nesta terça (20/04), reabriram com novas mercadorias. Anote e confira no bazar físico e nas redes sociais.
Endereço: Avenida Santa Catarina, 324
Qualquer dúvida, chame no WhatsApp: 
(11) 9 5604-4972.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.