Jovens ignoram a pandemia e fazem pancadão

0
53

A cada dia que passa os números de casos confirmados e mortes registradas pelo covid-19 vem aumentando assiduamente no país, principalmente entre os idosos. Porém, a ciência tem mostrado que o coronavírus não veio somente para as pessoas de idade avançada e muitos jovens estão caindo nas “garras” desse inimigo invisível.

Sem levar a sério a pandemia, grande parte dos jovens vem frequentando cada vez mais os pancadões, onde normalmente junta muitos adolescentes e os conduzem a ingerir bebidas alcoólicas e a se prostituírem, além de usar diversos tipos de drogas. Devido a isso, são inúmeras reclamações dos que sem querer são obrigados a conviver com esse tipo de “diversão”, pois para os frequentadores o motivo de se reunirem é a falta de lazer.

No primeiro momento, o covid-19 começou no alto escalão, ou seja, na população que possui poder aquisitivo econômico maior e consequentemente foi se alastrando para as áreas mais carentes da cidade (periferias), fazendo com que muitas das comunidades paulista centralize grande números de mortes e infectado pelo novo vírus. 

Muitos dos que vão para os pancadões esquecem-se que em suas residências muitas das vezes estão seus avós e pais e correm sérios riscos de serem contaminados pelo próprio filho(a) ou neto(a) que não tomam os devidos cuidados recomendados pelo ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde, que orienta para evitar aglomeração e ficar em casa, mas se precisar sair em extrema urgência para ir ao supermercado ou a farmácia por exemplo fazer o uso da máscara de proteção facial, entretanto essas orientações são muitas vezes ignoradas, podendo causar grandes perdas na família. 

Os vizinhos dos pancadões, são submetidos a ouvir muita das vezes letras indecentes e em som ensurdecedor, motoqueiros fazendo algazarra e muita bebedeira. Sem contar que os trabalhadores, ficam presos em suas residências, devido a esses bailes, sem ter condições sequer de sair em caso de urgência. 

Para tentar diminuir a proliferação do novo coronavírus o Governo de São Paulo prorrogou a quarentena no Estado até o dia 31 de maio e que somente serviços essenciais funcionassem. Porém muitos estabelecimentos que não se enquadram como essenciais como os bares, academias, salões de beleza dentre outros vem funcionando normalmente com porta semiaberta, burlando os decretos impostos pela prefeitura e pelo governo de São Paulo, mas a governança foi bem enfática, em que o estabelecimento que for pego descumprindo o decreto será multado e poderá ter o alvará cassado.

Além desses estabelecimentos proibidos de funcionar, muitas pessoas que estão de quarentena, ignoram esses decretos e vão se divertir, fazendo churrascos, festas de aniversários e se reunindo em praças como se nada tivesse acontecendo, contrariando as recomendações sanitárias de combate à pandemia do novo coronavírus.

A pandemia veio para mudar a rotina de muitos e realmente mudou, mais um terço da população ignoram tais acontecimentos e agem normalmente sem sequer pensar em seus familiares. Esta é a hora de mostrar o lado bom de cada pessoa e ajudar quem mais precisa e juntos enfrentar essa pandemia.    

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.