Jabaquara em notícias completa 30 anos

0
14

O maior amigo do Jabaquara completa mais um aniversário. O Jabaquara em Notícias, a voz da região, pioneiro em trazer as principais notícias do bairro, completou 30 anos de existência. Distribuído pela Editora Jornalística Juma pela primeira vez no dia 13 de novembro de 1991, o jornal é o considerado pela população como um braço direito na luta pela informação e divulgação de todos os fatos que acontecem na região. 

E nesta data festiva, quem ganha o presente é você, caro leitor. Nessa edição especial falaremos sobre a importância que um jornal de bairro tem para a população, ouvindo quem realmente importa: você. 

O morador, o comerciante, a dona de casa, o motorista que passa pelo bairro, todos são de extrema importância para que a região cresça cada vez mais e que dessa maneira, possamos ensinar aos próximos o que é amar o Jabaquara.

Distribuídos em bancas de jornais, padarias e outros pontos de comércio da região, O Jabaquara em Notícias se tornou referência no que diz respeito as notícias do bairro. E ocupa um lugar especial dentro do coração de moradores, comerciantes e até mesmo de quem apenas visita os bairros do distrito. 

O espaço na calçada da Av. Jabaquara 598 é ocupado pela Banca Orissanga desde o início da década de 70

Prova disso são os locais nos quais os moradores encontram as edições quinzenais. Passamos inicialmente pela tradicional Banca Orissanga, na Praça da Árvore. O espaço na calçada da Av. Jabaquara 598 é ocupado pela banca desde o início da década de 70, e já passou por inúmeros desafios para se consolidar como uma das mais importantes da região. “Adquirimos a banca que foi vendida pelo meu tio ao meu pai e rapidamente já começamos uma revolução nos primeiros anos. Ampliamos o espaço e colocamos novos produtos para serem vendidos. Nos primeiros anos, as autoridades não olhavam isso com bons olhos, foi uma luta. Mas depois, conseguimos manter o espaço e atender os nossos clientes do Jabaquara até hoje”, conta Maria Tereza, 66 anos, filha do já falecido proprietário Lourenço Costa.

A dona do espaço enfatiza a importância do Jabaquara em Notícias para a região. “É algo muito bacana, porque esse informativo do bairro tem uma abordagem especial. Ele é ótimo, as pessoas que moram aqui perto vêm em busca de notícias sobre o que acontece nos locais mais próximos, o que acontece na vizinhança. Sempre me deparo com alguém perguntando: “Já chegou?”. E isso se tornou tradição. Os nossos clientes já sabem o dia que tem a entrega, e aparecem para procurar”, conta ela.

Mário Sergio comanda a banca de jornal desde 1972

Na Revistaria Praça da Árvore (Rua General Serra Martins 87), o proprietário Mário Sergio comanda a banca de jornais desde 1972, e prestes a completar 50 anos de história, ele prescreve as mudanças no comportamento do leitor desde o início da empreitada.

“O perfil do consumidor de bancas de jornal mudou muito. Hoje, eles vão mais em livraria do que revistaria. Vem aqui apenas quando querem saber sobre um assunto específico. Mas sempre terá o espaço para o jornal de bairro. Esse tipo de informação é uma cultura nossa. Muitos querem saber onde está a padaria mais próxima, o sapateiro perto de casa. Essa rede de notícias será sempre de tamanha importância. E nós temos que conservar isso”, alerta.  

Ageu Rubis, sócio da banca Casa Palma

Na Cidade Ademar, a história não é diferente. O bairro que tem uma das maiores populações de São Paulo, também ressalta a importância que o Jornal da Cidade Ademar tem para os seus moradores. Esse por sua vez, um pouco mais novo, fundado em 14 de junho de 2006. Mas com a mesma importância do seu honônimo do Jabaquara, e também oriundo da Editora Jornalística Juma. Prova disso é a opinião do Ageu Rubis, dono da Banca Casa Palma, uma das maiores bancas de jornais de toda a região, localizada na Av. Cupecê nº 2112. O estabelecimento passou para o controle dos novos donos há 25 anos. E as mudanças foram constantes em diversos segmentos. Mas o leitor fiel permanece ao lado do jornal de bairro. 

“Hoje tudo mudou. Após a criação de um piscinão na região, o bairro virou sinônimo de prédios ao seu redor. E esse crescimento do comércio impulsionou também a procura nas bancas de jornais. Uma banca hoje, precisa se modernizar, sair do comum. E um dos diferenciais é ter o jornal de bairro, para deixar as pessoas a par do que acontece ao seu redor. E ainda mais uma informação de forma gratuita, onde ainda o comerciante pode divulgar sua loja. O morador que está aqui há pouco tempo, não sabe as vezes o que tem na região. E quando procura algo específico, precisa de deslocar, gastar combustível. E o jornal de bairro explica a todos o que é fácil de ser achado na própria vizinhança, pertinho da gente”, detalha. 

Senhor Ramão, que leva seu nome na banca há 55 anos

Gente, como o Seu Ramão, 75 anos, dono da banca de jornal que leva seu nome há 55 anos. Conhecedor profundo da região, ele fala sobre a procura incessante dos moradores pelo Jornal da Cidade Ademar. “O jornal de bairro tem clientela e sempre terá. Na prefeitura, no Posto de Saúde, os locais mais importantes do bairro, você sempre encontra uma edição, uma pessoa lendo. É importante para a propaganda do comércio das redondezas. Ajuda a encontrar tudo que o bairro oferece. Faz tempo que a nossa banca distribui esse jornal e queremos que isso se mantenha”, diz ele. 

Antonio Ortuno, também começou nessa empreitada há 25 anos

Não muito distante dali, existe a banca do Toninho, outro ponto de distribuição do Jornal da Cidade Ademar. O Antônio Ortuno, de 73 anos, também começou nessa empreitada há exatos 25 anos. E fala sobre a história da banca e dos leitores que procuram o jornal de bairro. 

“Com a chegada da internet, muita coisa mudou. Mas existe uma característica que segue sendo inalterada. É o gosto do consumidor pela leitura, por jornal, por mexer no papel, virar a página. E isso sempre vai existir. Esse tipo de leitor gosta das coisas mais tradicionais. E ai é que entra a importância do jornal de bairro. Temos a distribuição do Jornal da Cidade Ademar aqui faz muito tempo. Há cada 15 dias recebemos e no mesmo dia, tem uns clientes fiéis que já passam aqui e levam seu exemplar. Eu mesmo, sempre vejo. Ás vezes, tem coisas que acontecem do lado da nossa casa e não estamos sabendo. Já tivemos casos de clientes que perguntam onde tem uma lavanderia aqui perto. Eu respondo: ‘No jornal de bairro tem’. É de extrema importância tê-lo aqui”, ressalta.

Padaria Jardim Miriam, oferece um espaço para a leitura

No coração do Jardim Miriam, está a Padaria Jardim Miriam (Av. Cupecê 5500). E o local onde você pode encontrar aquele paõzinho quente e gostoso, e saborear um delicioso café, entre outros produtos, também oferece um espaço para a leitura. E os clientes sempre procuram ter em mãos alguma edição do Jornal da Cidade Ademar. 

“Acho legal, porque as pessoas precisam saber o que está acontecendo no lugar onde elas moram, ajuda a promover o comércio da região, para as pessoas se habituarem a isso, tem todo esse contexto. Tem pessoas que sabem mais do que acontece fora daqui do que no seu próprio bairro”, conta o comerciante Victor Ribeiro de Abreu, 30 anos, um dos proprietários da padaria. 

É essa soma de fatores e a ajuda constante de comerciantes e moradores que faz do Jornal Jabaquara e Jornal Cidade Ademar em notícias, um verdadeiro ponto de referência na colaboração para que essas regiões da zona sul de São Paulo cresça cada vez mais. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.