Hospital Vila Santa Catarina recebe leitos de UTI para tratamento de pacientes com Covid-19

0
137

A área de gestão hospitalar da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) entregou nesta segunda-feira (03/5), 40 novos leitos de UTI no Hospital Municipal Vila Santa Catarina – Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho. A ação contou com um investimento de R$ 22,5 milhões, numa força-tarefa entre o município e a iniciativa privada.

A construção dos 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) teve início em março deste ano e foi concluída em 37 dias. A iniciativa contou com a parceria das empresas Gerdau, BTG Pactual, Suzano, Península Participações, Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (que administra o equipamento exclusivamente em sistema SUS, desde 2015) e a Prefeitura de São Paulo. No local, o público é atendido exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sob gestão e operação do Einstein.

Cerca de 240 profissionais, entre médicos e equipe multidisciplinar, irão trabalhar nos 40 novos leitos de UTI, que estão instalados no bloco F da unidade hospitalar, com área total de 1.064 metros quadrados, que também oferece tratamento a pacientes oncológicos diagnosticados com Covid-19.

“Hoje estamos com o nosso prefeito Bruno Covas na UTI para um tratamento e a preocupação do prefeito é que se tenha UTI para todos. Por isso, estamos aqui e, juntos com a iniciativa privada, cumprindo essa missão do prefeito de entregar mais 40 leitos para cidade”, disse o prefeito em exercício, Ricardo Nunes.

Os novos leitos de UTI ficarão como legado para a população após a pandemia e serão destinados aos pacientes oncológicos e transplantados atendidos diariamente no hospital, aumentando a capacidade operacional para pacientes críticos e permitindo o aumento do escopo da unidade hospitalar.

“Esses novos 40 leitos são importantes para este período de pandemia, mas ficarão disponíveis para a população no futuro. Serão leitos permanentes para o município, que tem estruturado a sua rede para um atendimento cada vez mais qualificado aos usuários SUS da cidade”, disse o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

O presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Sidney Klajner, destacou a importância do trabalho em parceria entre o setor público e privado. “Ampliar o acesso ao tratamento por pacientes com Covid-19 na cidade tem sido uma de nossas prioridades durante a pandemia. Isso inclui a colaboração com o sistema público tanto no que diz respeito à criação de novos leitos quanto à melhoria de protocolos assistenciais e eficiência no uso de recursos”, disse.

Ele ressalta que a atuação conjunta com setor público e privado para a criação de novos leitos de UTI no Hospital Vila Santa Catarina – único hospital municipal de alta complexidade – cuja gestão é de responsabilidade do Einstein, reflete o compromisso em promover melhorias na assistência à saúde, com foco na segurança do paciente e excelência do atendimento sem deixar a humanização de lado.

O Hospital Municipal Vila Santa Catarina trata pacientes encaminhados pela regulação do município e é referência para a rede SUS na capital, realizando cirurgias bariátrica, urológica e vascular, além de oferecer atendimento especializado em oncologia, maternidade de alto risco e pediatria, incluindo uma UTI pediátrica, referência em hemodiálise.

Parceria

Além de auxiliar no planejamento e investir na construção dos novos leitos do Vila Santa Catarina, o Einstein foi responsável por viabilizar a aquisição dos equipamentos necessários ao seu funcionamento, como camas, ventiladores, monitores e bombas de infusão. Esses recursos vieram de doações captadas para este propósito.

A obra, que teve início em março deste ano, foi estruturada a partir da técnica de construção modular, criada pela construtech Brasil ao Cubo, que permite entregar obras em caráter definitivo e com velocidade quatro vezes maior que uma edificação comum. Essa técnica consiste no encaixe de módulos individuais, produzidos em fábrica e, então, montados no local, como peças de um jogo. A principal matéria-prima para esse método construtivo é o aço, que foi fornecido pela Gerdau.

“Há 120 anos, a Gerdau busca gerar um impacto positivo nas regiões em que está presente e participar da solução dos desafios da sociedade e, diante da pandemia, atuamos em colaboração para, mais uma vez, deixarmos um legado para a população. A leveza, resistência e praticidade do material, associado à inovação do método construtivo, ajudaram a dar velocidade a obra que salvará muitas vidas durante e após a pandemia”, comenta Gustavo Werneck, CEO da Gerdau.

O CEO do BTG Pactual Roberto Sallouti salienta sobre a necessidade de apoio à população. “O BTG Pactual se orgulha de apoiar iniciativas como esta, que causam impacto rápido e direto na sociedade, contribuindo para a ampliação do acesso à saúde, ainda mais em um momento tão delicado como o que vivemos. Desde o início da pandemia já doamos mais de R$ 70 milhões dentro da iniciativa #NumerosqueImportam, e seguiremos atentos a oportunidades de apoio à população” afirma.

Para o presidente da Suzano, Walter Schalka, a instalação dos novos leitos de UTI em São Paulo ajudará a cidade, inicialmente, no enfrentamento da pandemia, mas representa também uma importante contribuição permanente para o sistema público de saúde municipal. “Continuaremos engajados em participar e apoiar iniciativas que ajudem a salvar vidas, e reforçamos o apelo para que toda a população mantenha os cuidados necessários para conseguirmos vencer o coronavírus”, falou.

Membro do Conselho da Península Participações, João Paulo Diniz, disse que sua família, por meio da Península, segue se empenhando para tentar minimizar as dores desta pandemia. “Sabemos que estamos em um momento muito crítico no setor da saúde. Por isso, poder ajudar na construção desses novos leitos de UTI com agilidade e competência de todos os envolvidos e ajudar a salvar vidas dessa maneira tão direta nos traz esperança no meio de tanta dificuldade que nosso país está passando”.

O vereador Arnaldo Faria de Sá morador do Jabaquara, conhecendo o hospital acabou revelando seu histórico durante a inauguração. “A nova ala do hospital Santa Catarina de 40 leitos de UTI para Covid-19 é de primeiro mundo, o apoio das empresas Gerdau, BTG Pactual, Suzano, Península Participações, foi extremamente importante, cada leito certamente teve um custo de mais de 200 mil reais, uma coisa maravilhosa aqui em uma região da cidade periférica. Lembrando que este hospital já foi hospital Santa Marina e depois arrematado pela AMIL e em grande negociação da comunidade com o prefeito Fernando Haddad (PT) conseguimos que a AMIL repassasse pelo mesmo preço para a prefeitura, foi inaugurado no dia 11 de dezembro de 2015, juntamente com uma UPA e agora além de atender a questão de gravidez de risco e de oncologia também atenderá os casos de Covid. O hospital teve a participação do Albert Einstein em todo o desenvolvimento, aliás, os parabéns a Drª Fabiana e Andreia da Relações Publicas, e deixar minha homenagem póstuma ao Edson Godoy Bueno da AMIL que tem muito dele nessa luta da comunidade do Jabaquara.  Eu acho que o Brasil tem que aprender com a cidade de São Paulo o que nos fizemos na área de saúde em tão pouco tempo, desde a época do inicio da pandemia, a cidade deu exemplo, e aqui deixo registrado a boa sorte ao Bruno Covas”, declarou o vereador Faria de Sá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.