Escolas Técnicas Estaduais destacam-se com ótimo desempenho no Enem

0
33

Em 2019, as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) repetiram o ótimo desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com os dados divulgados no dia 26 de junho pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A análise dos resultados mostra que, das 60 melhores escolas públicas do Estado, 37 são Etecs. Na capital, a lista das 50 melhores públicas destaca 40 unidades do Centro Paula Souza (CPS).

Novamente, a Escola Técnica São Paulo, conhecida como Etesp, é a melhor escola pública da capital, seguida das unidades Irmã Agostina (3º), Guaracy Silveira (4º) e Takashi Morita (5º).

No estado, a relação das melhores escolas públicas traz as seguintes Etecs: Etesp (3º), Presidente Vargas, (8º) de Mogi das Cruzes; Irmã Agostina (12º), da capital; Prof. Armando Bayeux da Silva (13º), de Rio Claro; e Vasco Antonio Venchiarutti (14º), de Jundiaí.

O levantamento sobre o desempenho das unidades do CPS mostra que Etecs instaladas em regiões de maior vulnerabilidade socioeconômica têm tido bons resultados no Enem. É o caso das Etecs Irmã Agostina e Takashi Morita, ambas localizadas na zona sul. “Essas escolas foram criadas exatamente para levar mais oportunidades a quem mais precisa”, afirma a diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá.

O resultado ressalta também que diversas Etecs que integraram o Plano de Expansão do CPS, que teve como objetivo estender a oferta do Ensino Técnico às diversas regiões do estado, constam da relação. No Alto Tietê, por exemplo, a qualidade do ensino das Etecs de Suzano, Poá, Santa Isabel e Arujá, implantadas entre 2008 e 2014, se destaca entre as unidades do estado. “Fico muito feliz por saber que nosso bom desempenho é resultado de um trabalho sério e apaixonado,” complementa a diretora-superintendente.

Etec Irmã Agostina vence Feira Brasileira do Jovem Cientista

Duas alunas do curso técnico de química integrado ao Ensino Médio da Escola Técnica Estadual (Etec) Irmã Agostina, venceram a edição 2020 da Feira Brasileira do Jovem Cientista (FBJC). Voltado a estudantes do Ensino Médio, Técnico e Integrado de todo o País, o evento foi realizado em ambiente virtual.

O desenvolvimento de uma telha feita de fibra de coco verde, que capta energia solar, rendeu a Ana Costa e Julia Santana o primeiro lugar em Ciências Exatas e da Terra, além do Prêmio de Excelência em Pesquisa. As estudantes foram orientadas por Danieli de Freitas, Aline Ramos e Thais dos Santos (coorientadoras). A construção de uma versão de baixo custo do fluorímetro, equipamento utilizado em laboratórios de química, por alunos do mesmo curso, ficou com o terceiro lugar da categoria.

Na área de engenharias, alunos da Etec Bento Quirino, de Campinas, foram os segundos colocados com o Medprat, dispositivo que alerta pacientes sobre horários de medicação. A FBJC também contou com a participação de estudantes da Etec de Suzano nas categorias Ciências AgráriasCiências Exatas e da Terra, e Humanas. A mostra virtual apresentou mais de 500 projetos de escolas de todo o Brasil.

Foto: Reprodução/YouTube

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.