Entrando no mundo da tecnologia, Conseg Jardim Miriam realiza sua primeira reunião virtual

0
6

Com mais de 75 telespectadores foi realizada a primeira reunião extraordinária virtual do Conselho Comunitário de Segurança do Jardim Miriam na noite de segunda (06/04). Após decreto de quarentena no Estado de São Paulo, para evitar a proliferação do covid-19, estabelecimentos comerciais não essenciais, igrejas e encontros com aglomerações humanas foram suspensas. Com isso, muitos tiveram que se reinventar e o presidente do Conseg Jardim Miriam Ronaldo de Paula Santos e sua diretoria utilizaram da modernização dos meios de comunicação para realizar a reunião virtual, pois além do novo coronavírus, os problemas do bairro não param.

Somente o presidente e a sua diretoria participaram da transmissão ao vivo, mas todos os questionamentos e reivindicações das pessoas/telespectadores serão redirecionados aos órgãos responsáveis. Enquanto durar o isolamento social, toda primeira segunda-feira do mês a assembleia do Conselho Comunitário de Segurança do Jardim Miriam será realizada virtualmente e pode ser acessada/vista por dispositivos móveis e computadores. Entre as reclamações estavam: Arrumação da Rua Riese, pois possui pontos que estão com inclinação de 50% a esquerda, aglomerações na feira do Jardim Miriam, bancos com filas enormes e sem distanciamento mínimo entre um e outro, perturbação de sossego, baile funk, cracolândia na Vila Missionária, descarte irregular de lixo, asfalto no Sete Praias, queima de lixo na comunidade da fumaça, dentre tantas outras reivindicações.

“Minhas ocorrências de perturbação de sossego normalmente são atendidas. Porém, há grupos de usuários de drogas que debocham da polícia, quando ela (polícia) se retira os usuários de drogas ameaçam os moradores, insistindo que a rua é pública e onde moramos é tudo favela, o que não é verdade” afirma uma moradora e continua “o local trata-se de uma rua onde existia um ‘ponto de vendas de entorpecentes’ que acabou depois de uma invasão de terreno, na qual teve a reintegração de posse, porém os invasores ainda não saíram, temo que quando os invasores saírem o ponto volte, o que fazer?” questiona a moradora preocupada.

Obras da Sabesp na rua Dom João Batista Neri o “asfalto da rua começou a ceder e agora está formando buracos em frente às casas” avalia o morador.

Ronaldo de Paula uniu-se com outras pessoas para juntos formar um grupo denominado Rede do Bem, onde são confeccionadas máscaras para conter o contágio e avanço do coronavírus entre policiais do bairro e a Guarda Civil Metropolitana. No sábado (04/04) o grupo Corrente do Bem, juntamente com os policiais da 2° CIA do 22° BPM/M distribuíram máscaras aos idosos que estavam na rua.

Para continuar com o projeto o grupo necessita de doações de elásticos 0,5 milímetros nas cores azul marinho, preto e branco, linhas nas mesmas cores e tecido para a confecção aproximadamente entre 40 a 50 mil máscaras, que serão entregues a idosos, policiais, GCMs e entidades da região e de outros bairros também.

Mais informações

Whatsapp 11 97070-6315

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.