Após aprovação da Anvisa, Pazuello dá aval para início da vacinação no país

0
6

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), numa reunião que durou mais de cinco horas, neste domingo (17), autorizou o uso emergencial das vacinas CoronaVac desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan e a da AstraZenica produzida Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) em parceria com a Universidade de Oxford na Inglaterra.  As duas vacinas foram as primeiras a serem aprovadas pela Anvisa para imunizar os brasileiros contra o Sars-Cov 2.

A princípio, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello teria dito que a vacinação no país começaria na quarta (20). O ministro voltou atrás da decisão e disse que os estados poderiam começar a imunizar a população nesta segunda (18) a partir das 17h, segundo Pazuello, seria o tempo para todos os estados receberem as doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, que começou a ser distribuídas às 07h desta segunda (18).

“Tendo em vista o cenário da pandemia, o aumento do número de casos e a ausência de alternativas terapêuticas, a gerência-geral de medicamentos da Anvisa recomenda a aprovação do uso emergencial da vacina CoronaVac”, afirmou o gerente-geral de medicamentos e produtos biológicos, Gustavo Mendes.

Minutos depois da aprovação das vacinas pela Anvisa, o governo de São Paulo imunizou a primeira brasileira com a dose da CoronaVac. A enfermeira Mônica Calazans, 54, faz parte do grupo de risco e atua na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas em São Paulo, foi a primeira a ser imunizada contra o novo coronavírus, que vem sofrendo mutações nos últimos meses. Após ser vacinada, Mônica ainda recebeu um selo com os dizeres “Estou vacinada pelo Butantan” e uma pulseira com a frase “Eu me vacinei”.

Até o fechamento desta reportagem, o governo de São Paulo imunizou mais de 4.648 profissionais da saúde e indígenas, que a primeiro momento são do grupo prioritários, além desses, idosos com mais de 75 anos, população indígena aldeada, idosos a partir de 60 anos internados em abrigos e instituições, também serão vacinados na primeira fase.

Para evitar aglomerações e tentar ser o mais rápido possível na hora da vacinação, o governo de São Paulo lançou um site, onde permite que a população faça um pré-cadastro, mas isso é opcional. Caso não queira realizar esse pré-cadastro, não interfere em nada no momento da vacinação. O site só é uma forma de tornar o atendimento mais rápido e assim evitar aglomerações nos postos de vacinação.

Além de São Paulo,  todos os estados do país receberam as doses da CoronaVac. Assim que as vacinas são entregues aos estados, os governos estaduais ficam responsáveis por levar as vacinas até os municípios, em parceria com o Ministério da Defesa.

Veja a distribuição de doses a cada estado brasileiro:

Região Norte: Rondônia – 49.400 / Acre – 40.760 / Amazonas – 282.320

Roraima – 87.720 / Pará – 173.240 / Amapá – 31.000 / Tocantins – 44.000

Região Nordeste: Maranhão – 164.240 / Piauí – 61.200 / Ceará – 229.200

Rio Grande do Norte – 82.440 / Paraíba – 114.880 / Pernambuco – 270.960

Alagoas – 87.760 / Sergipe – 48.880 / Bahia – 376.600 / Total de doses – 1.436.160

Região Sudeste: Minas Gerais – 577.680 / Espírito Santo – 101.320

Rio de Janeiro – 488.320 / São Paulo – 1.349.200

Região Sul: Paraná – 265.600 / Santa Catarina – 144.040 / Rio Grande do Sul – 341.800 / Total de doses – 751.440

Região Centro-Oeste:  Mato Grosso do Sul – 158.760 / Mato Grosso – 126.160

Goiás – 183.080 / Distrito Federal – 106.160

Foto: Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.