A força do voluntariado, na emergência e no cotidiano

0
13

Dia 28 de agosto é o Dia Nacional do Voluntário! Nos últimos dois anos este movimento ganhou força, em virtude das feridas sociais que a pandemia trouxe. O Instituto Gabi teve iniciativas pontuais, bem como campanhas de caráter permanente, seja na modalidade presencial, virtual, por pessoa física e, em muitos casos, realizações proporcionadas por empresas.

Hoje se multiplicam as ações de voluntariado em prol das pessoas afetadas pelo surto da Covid 19. Nas periferias brasileiras, 71% das famílias estão vivendo com menos da metade da renda que tinham antes da pandemia.

Iracema, fundadora do Instituto Gabi

Mesmo com o crescimento das campanhas para doações, não tem sido suficiente para atender a esse flagelo social. Diante da fome, é imperativo o fornecimento de alimentos, mas esta prática requer organização para que não seja desviada, sem escrúpulos, para outras finalidades.

Voluntariado requer a mesma disposição e compromisso dedicados ao trabalho remunerado. É regido pela Lei Federal nº 9.608/98, que as organizações sociais devem cumprir, além de possuírem um adequado plano de gestão.

“Boa vontade é importante, mas precisa ser pautada pela disciplina. Não é chegar e fazer o que quer, mas atender a necessidade da entidade ou projeto”, declara Iracema Barreto Sogari, fundadora do Instituto Gabi. “Nascemos do trabalho voluntário, precisamos estruturar com profissionais remunerados, mas ainda hoje temos esta atividade como base de sustentação”, completa.

A gratidão de ser um voluntário

“O voluntariado é importante, permite ajudar uma causa em que acredito muito. Gasto minha energia e criatividade, mas ganho em troca um contato humano rico, a convivência com pessoas diferentes, oportunidade de aprender coisas novas, sentir-me útil e ser ajudada também” (Elaine, é comissária e auxilia no Bazar de Oportunidades)

“Nunca tinha sido voluntária ou noção de como seria. No Instituto Gabi descobri como é bom doar um pouco do meu tempo; é muita alegria poder participar. Agradeço pela acolhida e quero ajudar sempre, porque ser voluntário é uma troca pois doamos e recebemos mais; é incrível.!”. (Fabiana Miranda Lima Martins, é personal trainer e voluntária)

Conheça o trabalho do Instituto Gabi na Inclusão de PCD) www.institutogabi.org.br
Portal de voluntariado: www.atados.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.