10/12/2018

A Editora Mídia Kit Edição Digital Fale Conosco

10/12/2018



Encontrou postos com práticas abusivas? Denuncie ao Procon.SP

Publicado em 06/06/2018

Em meio às dificuldades encontradas pela população nos últimos dias, durante a crise de abastecimento ocasionada pelo movimento reivindicatório dos caminhoneiros, muitas pessoas se depararam com

 

 

Em meio às dificuldades encontradas pela população nos últimos dias, durante a crise de abastecimento ocasionada pelo movimento reivindicatório dos caminhoneiros, muitas pessoas se depararam com postos de combustíveis exercendo práticas abusivas na comercialização dos produtos.

Por isso, a Fundação Procon.SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, com apoio da ANP, reforça a fiscalização sobre esses estabelecimentos no intuito de combater práticas abusivas na formulação de preços e também o comércio de combustíveis adulterados.

Uma dessas medidas foi a criação, no último dia 24, de um selo específico para denúncias e queixas contra postos de combustíveis, disponibilizado no site, redes sociais, atendimento eletrônico e pelo telefone 151. Desde então, o Procon.SP registrou 1.147 atendimentos referentes ao aumento nos preços de combustíveis.

É importante esclarecer que o Procon fiscaliza a “prática abusiva” e não os preços em si, pois não existe tabelamento para os valores praticados. No entanto, é entendido como “prática abusiva” quando há um aumento injustificado dos preços repassados ao consumidor.

Quando isso acontece, primeiro as empresas são notificadas para apresentarem documentação sobre os preços de fornecedores e os praticados, além da justificativa para o aumento dos preços. Após análise da documentação, o estabelecimento poderá ser multado com base no seu faturamento. 

Para fazer a denúncia acesse: http://sistemas.procon.sp.gov.br/formularios/index.php?r=survey/index/sid/747884/lang/pt-BR#

Antes de iniciar, tenha em mãos os dados do estabelecimento (nome, bandeira e endereço completo do posto de combustível), comprovantes de compra e/ou fotos do preço atual e anexe à sua reclamação os documentos digitalizados.

Para mais informações, acesse o portal do Procon.SP: http://www.procon.sp.gov.br

Foto: Divulgação

FECHAR

 
Publicidade