15/10/2018

A Editora Mídia Kit Edição Digital Fale Conosco

15/10/2018



Todos os cães podem adquirir vermes

Publicado em 19/07/2018

A maioria das pessoas se preocupa em vermifugar seu bichinho de estimação, apenas quando um membro novo de quatro patas chega em casa. Esse cuidado, no entanto, deve ser frequente. Afinal, todos os

A maioria das pessoas se preocupa em vermifugar seu bichinho de estimação, apenas quando um membro novo de quatro patas chega em casa. Esse cuidado, no entanto, deve ser frequente. Afinal, todos os cães podem adquirir vermes e outros endoparasitas, como a giárdia, que podem ser transmitidas para o homem.

O diagnóstico das verminoses é feito por meio de exames de sangue e de fezes e o tratamento deve ser feito com medicamentos prescritos pelo veterinário de confiança. "A prevenção é feita com doses de vermífugos que devem ser indicados pelo veterinário, de acordo com o tipo de verme e o peso do animal. Para os filhotes, a medicação geralmente é administrada em conjunto com as primeiras vacinas dos pets", explica o médico veterinário da Virbac, Ricardo Cabral.

Alguns cães podem nascer com vermes que são transmitidos pela placenta ou pelo leite materno. Nos animais adultos, a infecção pode acontecer por via oral ou cutânea. No primeiro caso, o animal ingere ovos ou larvas presentes no solo, na água ou em lugares com muita umidade. Já a penetração pela pele, pode acontecer mesmo que ele não apresente um ferimento. Há ainda a possibilidade de transmissão de alguns vermes por vetores, como os mosquitos. É o caso do verme do coração.

Em animais adultos, geralmente, não são observados sinais clínicos. Alguns podem esfregar o ânus no chão (prurido anal), ter diarreia, apresentar pelos opacos e indisposição para brincar ou passear. Mas, a grande maioria dos parasitas são assintomáticos, o que reforça a necessidade de levar, pelo menos uma vez por ano, o cão até um consultório veterinário.

Os vermes podem se alojar em diferentes partes do organismo como coração estômago, rins, pulmões, esôfago, olho, intestino, fígado e até mesmo no cérebro do hospedeiro. Quando isso acontece, podem provocar sérias lesões no órgão.

O controle do ambiente é a principal medida de prevenção. Por isso, os tutores devem cuidar sempre da remoção de fezes, evitar que o animal faça as necessidades em local fechado e que não bata sol. É que a umidade favorece a sobrevivência das larvas e ajuda os vermes a crescer. Se o pet ficar em creches, é muito importante verificar a higienização do local.

 

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade