16/10/2018

A Editora Mídia Kit Edição Digital Fale Conosco

16/10/2018



A higiene das mãos é sinônimo de saúde

Publicado em 17/01/2018

A higiene das mãos é reconhecida como a medida mais simples e de maior impacto na redução da transmissão cruzada de microrganismos, inclusive os multirresistentes, assim como na Prevenção das I

 

A higiene das mãos é reconhecida como a medida mais simples e de maior impacto na redução da transmissão cruzada de microrganismos, inclusive os multirresistentes, assim como na Prevenção das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS). Um outro grande desafio é a adesão e a sensibilização dos profissionais de saúde a esta medida.

Para quem presta serviços em hospitais, a lavagem das mãos é ainda mais importante, dado a exposição com pessoas com doenças em um ambiente de grande circulação. Mas não só para quem atua em hospitais, no dia a dia deve-se previnir usando pelo menos um gel em álcool após usar o transporte público, após tocar em dinheiro ou usar o telefone, antes de se alimentar entre tantos outros momentos que podem responder por grande parte dos casos de capacidade imperceptível de transmitir ou contrair doenças.

Novos produtos têm sido disponibilizados no mercado, com por exemplo, as preparações em gel de álcool a 70%, contendo hidratantes e emolientes em suas fórmulas de modo a garantir a proteção da pele das mãos, sem danos à barreira cutânea, como acontece com os produtos degermante e sabões de uma forma geral.

Por falta desse simples ato pode-se contrair várias doenças como: conjuntivite, diarreia, gripe ou até mesmo resfriado. Segue algumas recomendações importantes que podem ajudar a reduzir a transmissão dessas e outras doenças relacionadas, entre elas são: ao espirrar ou tossir, cubra o nariz e a boca com lenço de papel. Na falta destes itens, utilize o antebraço, evitando sujar as mãos; não compartilhar cortadores ou alicates de unha e mesmo as lixas, uma vez que as unhas também são fontes de risco e podem acumular microrganismos nocivos à saúde; ao lavar as mãos, retirar acessórios como anéis, pulseiras e relógio, pois esses objetos acumulam microrganismos que podem não ser removidos com a lavagem das mãos; utilizar papel toalha também para fechar a torneira e tocar na maçaneta da porta, para que não as suje novamente; caso não seja possível higienizar as mãos em um determinado momento, evite tocar os olhos, nariz ou boca após tossir ou espirrar.

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade