15/12/2017

O Jornal Mídia Kit Anuncie Edição Digital Fale Conosco
Receba nossa newsletter

15/12/2017

Paralimpíadas Escolares 2016

Publicado em 16/01/2017

A edição 2016 das Paralimpíadas Escolares foi aberta no dia, 22 de novembro. A cerimônia foi realizada no Parque Anhembi, e contou com a presença de membros da diretoria do Comitê Paralímpico B

Legenda

Paralimpíadas Escolares 2016

A cerimônia teve apresentação de break dance, no qual dois dos integrantes do grupo tinham deficiência nas pernas. A execução do Hino Nacional também impressionou os presentes ao ser tocado pelo guitarrista Johnatha Bastos, que conduziu o instrumento com os pés (Jonhatha não tem os dois braços).

O evento é o maior do mundo entre atletas com idade escolar (12 a 17 anos) e já revelou alguns dos principais atletas brasileiros da atualidade. Este ano, foram oito modalidades no programa: atletismo, bocha, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. Com mais de 900 atletas, o evento foi uma verdadeira peneira de talentos para formar a delegação brasileira que disputará o Parapan de Jovens, em março.
E como ainda há vagas para o grupo do Parapan de Jovens, a chance de ter atletas desta Escolar nas Seleções juvenis é alta. “A gente olha se tem o estilo, um biotipo de um bom esportista. Não estamos aqui só para convocação. Nosso objetivo é detectar futuros talentos. Mas acho que daqui vai sair o grosso que vai disputar o Parapan de Jovens”, disse Amaury Veríssimo, técnico da Seleção de atletismo.

Outro treinador que esteve às Escolares com objetivo de buscar esportistas jovens foi Wagner Melo, técnico na Seleção de jovens de futebol de 7. “Nossa intenção é renovar a Seleção principal, então é importante ver esses novos jogadores. Há quatro vagas abertas para o Parapan e o objetivo é preencher com novidades. Nossa procura maior é com jogadores de linha. Acho que um para cada setor será ideal para o Parapan”, contou Melo.

Experimentando Diferenças esteve no CT durante as Paralimpíadas

Além das disputas entre os atletas juvenis nas oito modalidades do evento, o Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro também recebeu, o Experimentando Diferenças, projeto que aproxima o público do esporte paralímpico com a convivência com grandes nomes do paradesporto brasileiro e experimentação de algumas modalidades adaptadas.
Nas arenas montadas no evento, o público pode sentir como é chutar uma bola ao gol com os olhos vendados ou ainda arremessar bolas de basquete sentado em uma cadeira de rodas, por exemplo.

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade