18/09/2019

A Editora Mídia Kit Edição Digital Fale Conosco

18/09/2019



Comitê Paralímpico Brasileiro lança linha própria de uniformes para os Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019

Publicado em 21/08/2019

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) promoveu um evento no dia 13/08, para anunciar três importantes projetos para o mercado publicitário e empresarial do Brasil, tendo como pano de fundo, a part

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) promoveu um evento no dia 13/08, para anunciar três importantes projetos para o mercado publicitário e empresarial do Brasil, tendo como pano de fundo, a participação nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. Na pista de atletismo indoor do Centro de Treinamento Paralímpico, no Jabaquara, foi realizado um desfile dos trajes a serem utilizados pelos atletas na capital peruana, assim como a exibição da nova campanha publicitária do CPB, intitulada “Movimento Paralímpico”, e o início do programa de licenciamento de produtos, cujo primeiro parceiro é a Reserva.

 

Os Jogos Parapan-Americanos de Lima serão a principal competição paralímpica da temporada 2019, de 23 de agosto a 1º de setembro, em Lima, no Peru. Ao todo, serão 512 integrantes na missão brasileira, sendo 337 atletas, de 23 estados e do Distrito Federal, em 17 modalidades. Esta é a maior delegação brasileira da história, e tem como meta manter-se na primeira colocação do quadro geral de medalhas, tal qual ocorre desde o Rio 2007. Na última edição do Parapan, em Toronto, há quatro anos, o Brasil subiu ao pódio 257 vezes, das quais 109 foram no ponto mais alto. 

 

A linha de roupas autoral conta com 127 peças desenvolvidas especialmente para os atletas paralímpicos. Para divulgar sua linha própria de uniforme, o CPB convidou alguns dos competidores que os vestirão em Lima, para desfilarem para os patrocinadores do CPB: Loterias Caixa, Braskem e Ajinomoto. 

 

 “Estou muito feliz por fazer parte desse desfile, que é um momento histórico. As roupas ficaram lindas e isso mostra o quanto o CPB e o Movimento Paralímpico cresceram. É muito bacana ter a nossa própria confecção e as pessoas poderem adquirir o seu no futuro”, comentou o nadador multimedalhista, Daniel Dias.

 

“Eu amei os uniformes, o CPB está de parabéns. A cada ano, o nosso uniforme veio evoluindo e, com essas novas peças, eu tenho toda a facilidade do mundo para vestir. Foi feito para nós. Pensaram em todos os detalhes, nas necessidades de cada deficiência”, destacou a lançadora de dardo Raíssa Machado, que tem má-formação nos membros inferiores. 

 

O CPB aproveitou a ocasião para apresentar o seu novo posicionamento institucional. Para isso, lançou a campanha “Movimento Paralímpico”, sobre conscientização do esporte para pessoa com deficiência. O halterofilista mineiro Mateus Assis, o velocista paranaense Vinícius Rodrigues e a nadadora potiguar Dayane Silva gravaram por duas semanas no CT Paralímpico, e estrelarão três vídeos cada um, com duração de 15, 30 e 60 segundos, e um vídeo de 60 segundos com a participação dos três.

 

“É muito gratificante fazer parte desse projeto. Nós que participamos sabemos que isso vai repercutir por muitos e muitos anos e vai influenciar diretamente nas novas gerações que estão chegando. Acho que o nosso objetivo vai ser cumprido, com muita plenitude com a certeza de que o esporte paralímpico será fomentado”, comentou Dayane, que tem má-formação nos membros superiores.

 

A campanha terá três etapas até o fim de 2020, e a fase de abertura será veiculada de agosto a dezembro de 2019 nos canais SporTV e nas redes sociais do CPB. Durante o evento, também foi anunciado o início de um programa de licenciamento de produtos alusivos ao movimento paralímpico. A primeira parceria é a comercialização de camisetas produzidas pela Reserva, com o mote da campanha. 

 

Confira os vídeos e a campanha no site: www.movimentoparalímpico.com.br

 

“Esta é uma campanha importante, que mostra a capacidade e o potencial do atleta como atleta. Principalmente, deixa claro que a deficiência é só um detalhe, que o esforço, a dedicação, o sacrifício e a habilidade estão em primeiro lugar e, naturalmente, cada um tem uma característica que, às vezes, representa uma limitação que demanda ainda mais dedicação esforço e superação”, disse o presidente Mizael Conrado.

 

Foto: Divulgação

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade