15/10/2018

A Editora Mídia Kit Edição Digital Fale Conosco

15/10/2018



5 dicas para quem vai correr a São Silvestre

Publicado em 28/12/2017

A corrida de São Silvestre chega a sua 93ª edição em 2017 com capacidade máxima de 30 mil inscritos e é considerada a prova mais importante da América Latina.

 

 * Por Dr. Rogério Queiroz

A corrida de São Silvestre chega a sua 93ª edição em 2017 com capacidade máxima de 30 mil inscritos e é considerada a prova mais importante da América Latina. A pouco mais de 20 dias da prova, a preparação se intensifica tanto para atletas amadores quanto para profissionais, a fim de melhorar sua performance e rendimento durante a corrida, que possui um percurso de 15 km. 

O Fisioterapeuta Osteopata, Rogério Queiroz, diretor da Escuela de Osteopatía de Madrid Brasil, enfatiza que pequenos ajustes nessa preparação podem maximizar o desempenho durante a prova e minimizar as dores pós-corrida. 

Corpo equilibrado é fundamental

Pequenas disfunções nas articulações, mesmo que não produzam dor, acabam obrigando o organismo a gastar mais energia e, com isso, as alterações sobre as forças aplicadas sobre tendões e músculos podem gerar dores no longo prazo. O tratamento dessas pequenas disfunções não só pode melhorar a performance, como diminuir os riscos de lesão e os desconfortos pós-prova. O ideal é consultar um profissional a fim de avaliar essas disfunções. 

Otimize o seu metabolismo

Vai exigir do seu corpo? Então ele precisa estar pronto pra responder rapidamente. Para que cada célula do seu corpo receba facilmente todos os nutrientes que precisa, seus órgãos e vísceras devem estar funcionando da melhor forma possível – o que exige um bom equilíbrio do Sistema Nervoso Autônomo, que é subdividido em Sistema Simpático e Parassimpático. Eles são responsáveis pelo controle e regulação da atividade visceral. Se eles funcionam bem, as vísceras funcionam bem e o resultado é a otimização da perfomance corporal. Portanto observe como está seu trato digestivo. Qualquer anormalidade pode levar a problemas em outras áreas do corpo, especialmente quando o corpo é levado ao estresse, como numa prova de maratona. Dentro do tratamento osteopático é possível identificar alterações desses sistemas e trabalhá-los para um funcionamento mais próximo possível do ideal. Dessa forma, os atletas estarão em perfeito equilíbrio para correr. 

Cuidado com calçado e acessórios

Antes de pensar em comprar tênis que prometem fazer correções na sua pisada, usar palmilhas ou qualquer outro acessório dentro do seu tênis, consulte com um profissional especializado no assunto para uma avaliação específica do formato do pé, bem como da forma de pisar (tanto na estática quanto na dinâmica) orientando-o sobre o melhor calçado ou palmilha a ser utilizado. Essa é uma estratégia muito inteligente, pois, além de melhorar a performance, evita as lesões. O tênis pode ser um grande aliado e sua escolha deve ser a mais assertiva. Uma dica extra: ao se hidratar ou mesmo se molhar durante a corrida, tente não molhar seu tênis. Além de deixá-los mais pesados e aumentarem seu esforço, essa umidade facilita o surgimento de bolhas. 

Esteja com sua respiração otimizada

Um dos fatores mais importantes para a corrida é a boa capacidade de trocas gasosas. Para que sua respiração esteja no seu melhor estado, alguns fatores devem ser observados. Narinas e seios nasais devem estar desobstruídos; Pulmões devem estar com seu metabolismo otimizado (Sistema Autônomo mencionado acima); Músculos da respiração devem estar relaxados para funcionar da melhor forma possível. Por isso, é importante alongar e liberar tanto os músculos da inspiração quanto da expiração antes da prova. 

Potencialize sua recuperação pós-prova

Existem vários tratamentos na fisioterapia para melhorar a recuperação após as competições, como banheiras com água e gelo, massagens, drenagem linfática e outros. Todavia, destaco o crescimento do trabalho craniano osteopático que facilita a entrada do estado parassimpáticotonia e, com isso, a recuperação energética e tecidual mais rápida do organismo. 

*Doutor Rogério Queiroz é fisioterapeuta graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e Osteopata D.O. pela Escola de Osteopatia Madrid/S.E.F.O.; Especialista em Educação pela UNICAMP e mestre em Anatomia pela Universidade de Cádiz/Espanha. Possui MBA em Gestão e Empreendedorismo pela DeVry/Metrocamp. Leciona na Formação Profissional em Osteopatia em países da América do Sul e Europa e é Diretor Geral da Escuela de Osteopatía de Madrid Brasil. 

 

Outras Informações: http://www.osteopatiamadrid.com.br

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade